O Sporting venceu ontem à noite o Estrela da Amadora por 3-2 em partida relativa à 10ª jornada da Primeira Liga. Os leões estiveram em vantagem na primeira parte mas permitiram ao Estrela dar a volta ao marcador no início da segunda; os comandados de Rúben Amorim acabaram por reagir e conseguiram voltar à posição de vantagem, alcançando uma importante vitória que lhe permite regressar à liderança isolada do campeonato.

Já o Estrela deu uma excelente réplica em Alvalade, mostrando ter a lição bem estudada. Na primeira parte os tricolores condicionaram ao máximo o jogo do adversário e na segunda parte entraram determinados em mudar o rumo do jogo. Até final, e mesmo em desvantagem, os amadorenses nunca viraram a cara à luta e mantiveram a incerteza no resultado até final.

Veja as melhores imagens da partida

O jogo: Primeiro o bocejo, depois a vertigem

Rúben Amorim fez cinco alterações relativamente à equipa que começou a última partida diante do Farense; Franco Israel, St.Juste, Gonçalo Inácio, Paulinho e Francisco Trincão foram substituídos por Adán, Coates, Diomande, Pedro Gonçalves e Marcus Edwards. Já do lado do Estrela, Sérgio Vieira fez apenas três trocas, lançando Jean Filipe, João Reis e Léo Cordeiro para os lugares de Hevertton, Vitó e Kikas.

A primeira parte foi jogada sempre a um ritmo muito baixo. Depois de, na conferência de imprensa de lançamento do jogo, Rúben Amorim ter afirmado que seria preciso paciência, os leões demonstraram isso mesmo, procurando pausar o jogo para poder chamar o adversário para o seu meio-campo ofensivo, algo a que o Estrela raramente correspondeu.

Perante tanta letargia, e num jogo praticamente sem balizas, não se esperavam grandes novidades no marcador até ao intervalo; contudo a paciência leonina acabou por dar frutos quando, aos 33 minutos, Daniel Bragança aproveitou a primeira desatenção do Estrela para inaugurar o marcador.

O golo como que desbloqueou a partida, jogada agora com mais intensidade; de tal forma que o Estrela chegou mesmo a ameaçar o empate em cima do intervalo mas Léo Jabá, isolado, não conseguiu bater Adán.

Na segunda parte os jogadores do Sporting subiram de facto ao relvado...mas a equipa ficou no balneário. Sérgio Vieira lançou Kikas para o ataque e o Estrela entrou transfigurado, pressionando agora de forma mais intensa e avançada no terreno. A postura dos estrelistas trouxe frutos de forma quase imediata; aos 50 minutos, Léo Jabá empatou a partida através de uma grande penalidade a castigar uma mão na bola de Coates.

Não satisfeitos com o empate, os amadorenses encontraram o ponto fraco na defesa leonina: o muito espaço dado nas costas da sua defesa; cinco minutos depois do empate, Léo Jabá lança Kikas em profundidade que ultrapassa Coates e, na cara de Adán, não perdoa, fazendo o 1-2...de um momento para o outro tudo mudava.

Ao contrário de outras ocasiões, Rúben Amorim não demorou a reagir e fez logo três alterações de uma assentada: Trincão, St.Juste e Inácio entraram para os lugares de Esgaio, Coates e Matheus Reis. As alterações trouxeram melhorias significativas à equipa que agora chegava com mais elementos junto da área amadorense.

Contudo bastou apenas um para que os verde e brancos chegassem ao empate; 71 minutos e Marcus Edwards a arrancar vertiginosamente para cima da defesa adversária e, após tirar vários do caminho, fez o 2-2 com um golo soberbo.

Naturalmente, o Sporting galvanizou-se com o golo e partiu em busca do terceiro. Por seu lado, o Estrela não se descontrolou, nem muito menos se remeteu à defesa; sempre que possível, os homens de Sérgio Vieira procuravam chegar perto da área leonina, tendo agora uma pela frente um adversário que já percebera qual o 'filão' que o Estrela explorava, e o qual conseguiu neutralizar.

Sem nunca mostrar pânico ou demasiada ansiedade, mesmo quando estavam em posição de desvantagem, os leões continuaram à caça da baliza de António Filipe e viram a sua persistência recompensada aos 79 minutos; Marcus Edwards descobriu Paulinho no coração da área e o recém-entrado avançado dos verde e brancos fez Alvalade explodir com o 3-2.

Até final o Sporting foi colecionando oportunidades para aumentar a vantagem, uma das quais negada categoricamente por António Filipe, que voou para negar um golo certo a Pedro Gonçalves; o Estrela lutou até ao fim e até chegou a criar alguns calafrios à defensiva leonina nos minutos finais.

Com esta vitória os leões regressam à liderança isolada do campeonato, agora com 28 pontos, já o Estrela da Amadora mantém os onze pontos trazidos da última ronda e que deixam os tricolores na 11ª posição na classificação.

O momento do jogo: Edwards faz jus ao '10' da camisola

Depois de ter sofrido dois golos de rajada e estando em desvantagem, o Sporting carregava em busca do empate. E este chegou através de uma iniciativa individual de Marcus Edwards; 71 minutos e o inglês a pegar na bola a meio do meio-campo do Estrela, a tirar vários adversários do caminho em 'slalom' e a finalizar um golo de índole "maradoniana" e que abriu caminho à recuperação dos leões.

O melhor: Edwards só é Edwards quando quer

Marcus Edwards é um jogador diferenciado no Sporting, muito devido à sua capacidade de quebrar linhas e criar desequilíbrios..mas só quando está para aí virado. O inglês é daqueles jogadores sempre sob forte escrutínio, muito devido à sua tendência para arriscar, e que o leva a perdas de bola e alguns lances inconsequentes. Muitos desses surgiram no jogo de ontem, contudo, um golo fantástico e uma assistência para o 3-2 de Paulinho transformaram-no no homem do jogo; houvesse mais consistência exibicional do avançado britânico e este não ficaria muito tempo em Alvalade.

O pior: Coates nas piores partes

O habitual esteio da defensiva do Sporting esteve muito abaixo do seu nível habitual. O capitão dos leões esteve envolvido nos dois golos do Estrela da Amadora: primeiro a travar desnecessariamente um cruzamento com a mão, resultando na grande penalidade, e poucos minutos depois deixou-se ultrapassar por Kikas que fez o 1-2. Coincidência ou não, o central uruguaio acabou por ser substituído pouco depois.

O que disseram os treinadores

Rúben Amorim enaltece apoio dos adeptos, Edwards satisfeito com o golo marcado

Sérgio Vieira fala de um jogo de emoções fortes, Miguel Lopes orgulhoso com a exibição

Veja aqui o resumo do jogo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.