O norte-americano Sepp Kuss (Jumbo-Visma) defendeu-se bem no contrarrelógio de hoje em Valladolid, perdeu menos tempo do que se previa e sai reforçado da 10.ª etapa de Volta a Espanha em bicicleta, ganha pelo italiano Filippo Ganna (INEOS).

O grande 'perdedor' do dia acaba por ser o belga Remco Evenapoel (Soudal-Quick Step), atual campeão do mundo da especialidade, que não ganhou os minutos que queria para a concorrência da Jumbo-Visma e UAE Emirates, no 'crono' de 25,8 km quase planos, bem à sua imagem.

O italiano Filippo Ganna deu, finalmente uma vitória de etapa à tão debilitada, nesta Vuelta, INEOS, num dia em que Portugal colocou dois ciclistas no top-10 - João Almeida (UAE Emirates) foi quarto e Nelson Oliveira (Movistar) nono.

Na véspera de uma chegada em montanha, a que se seguem mais dias difíceis, ficou claro que Evenepoel tem a vida mais complicada, com pouco apoio da equipa, enquanto a Jumbo-Visma e a UAE Emirates têm, cada uma, três 'ases' entre os dez primeiros.

Marc Reef, diretor desportivo da Jumbo-Visma, já admite claramente que Kuss é mesmo para apoiar na muita montanha que há pela frente, mesmo que isso signifique que o dinamarquês Jonas Vingegaard e o esloveno Primoz Roglic trabalhem para ele.

A mesma sensação, a caminho dos Pirinéus, tem a UAE Emirates, que estava inicialmente oscilante entre Juan Ayuso e João Almeida, mas que vê Marc Soler bem firme como segundo da geral, a 26 segundos de Kuss.

De fora das contas da luta dos primeiros lugares, entre os grandes, está a INEOS, com o britânico Geraint Thomas a ser 20.º no dia (21.º na geral), o que só muito vagamente é compensado pelo sucesso de Filippo Ganna.

Ayuso (7.º), Soler (8.º), Vingegaard (10.º) e Kuss (13.º) minimizaram bem as perdas para Evenepoel e continuam também, todos, com ambições na classificação geral.

Kuss, um trepador de excelência, que muito tem trabalhado para os outros, aborda a 11.ª etapa com a camisola vermelha 'segura' por 26 segundos sobre Soler, também ele o 'número 3 da equipa', à partida.

O terceiro lugar da geral é de Evenepoel (a 1.09) e o quarto de Roglic (a 1.36), com o top-5 fechado pelo jovem francês Lenny Martinez, da Groupama-FDJ, a 2.02.

João Almeida sobe quatro posições, para o sexto lugar, e reduz para 2.16 o atraso para Kuss, no final deste contrarrelógio magnífico.

Logo a seguir estão Vingegaard, a 2.22, e Ayuso, a 2.25.

Entre os portugueses, Nelson Oliveira mostrou hoje que é um dos melhores do 'crono', com Rui Costa (Intermarché-Circus-Wanty) a ser 41.º, enquanto Rui Oliveira (UAE Emirates) e André Carvalho (Cofidis) ficaram abaixo dos 100 melhores.

Na geral, Rui Costa sobe a 40.º, a 38.42 minutos, e Nélson Oliveira a 42.º, a 39.16. Também aqui, Rui Oliveira e André Carvalho estão fora dos 100 primeiros.

Na etapa de quarta-feira regressa a montanha, com uma chegada em alto a La Laguna Negra -Vinuesa, uma subida de primeira categoria, com 6,5 quilómetros.

A partida será dada em Lerma e não tem mais dificuldades relevantes nos 163,2 km.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.